Parceiros

Cebrasse

Visitar site

Criada em 2004 como uma Associação (Abrasse), e três anos mais tarde denominada Central Brasileira do Setor de Serviços - Cebrasse, a central reúne hoje cerca 80 entidades patronais - entre Federações, Sindicatos e Associações de quase trinta segmentos da atividade em todo o país.

Sem fins lucrativos, e com associados que representam mais de 50 mil empresas com mais de nove milhões de trabalhadores formais, a Cebrasse vem se consolidando na representatividade da prestação nacional de serviços - atividade produtiva que compõe 70% do PIB e responde pela maior empregabilidade no Brasil.

Nas ações pelo fortalecimento dos serviços, atua sempre pelo desenvolvimento econômico, social e político da prestação nacional de serviços junto ao Poder Público, a organizações diversas, a outras instituições, ao mercado e à mídia.

CNC

Visitar site

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) é a entidade sindical de um dos principais setores da economia do País. Juntas, essas categorias respondem por cerca de 1/4 do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro e geram aproximadamente 16 milhões de empregos diretos e formais.

Representante máxima dos cerca de 2,2 milhões de empresas do comércio de bens, serviços e turismo, a CNC foi fundada em 4 de setembro de 1945.

Desde então, assegura os interesses e avanços do setor em órgãos de jurisdição e consultivos, no Brasil e no mundo. Nesses organismos, a CNC contribui com as decisões e com a formulação de diretrizes de políticas econômica, administrativa, social e ambiental.

Datasafe

Visitar site

A empresa DATASAFE MERCANTIL E SERVIÇOS LTDA. foi constituída em 9 de dezembro de 1987, com o objetivo de cumprir as disposições legais que regem a segurança privada, acompanhando suas alterações e propiciando a normalização, além da elaboração dos documentos, relatórios e controles necessários para as empresas de segurança jurídica.

A DataSafe é amparada na maior base de dados e imagens sobre a atividade de segurança privada no país, podendo uma pequena parte disso ser conferida no endereço eletrônico da empresa. Possui, ainda, agenda de compromissos e prazos desenvolvida internamente, para controle de prazos procedimentais; roteiros para todos os processos e suas etapas, de forma que o cliente possa aplicar um “check-list” para cada situação.

Com notoriedade no que se refere às normas e regulamentos do segmento de segurança privada, a DATASAFE trabalha ao lado da Fenavist na busca pelo entendimento das leis que regem o setor, buscando respostas às dúvidas que são levadas à Federação por parte das empresas associadas.

Departamento de Polícia Federal (DPF)

Visitar site

A Polícia Federal tem na sua origem a Intendência-Geral de Polícia da Corte e do Estado do Brasil, criada por D. João VI, em 10 de maio de 1808, com as mesmas atribuições que tinha em Portugal, e sendo designado para o cargo de Intendente-Geral de Polícia da Corte o Desembargador e Ouvidor da Corte, Paulo Fernandes Viana.

Com o Decreto-Lei nº 6.378, de 28 de março de 1944, a antiga Polícia Civil do Distrito Federal, que funcionava na Cidade do Rio de Janeiro/RJ, ex-capital da República, no Governo de Getúlio Vargas, foi transformada em Departamento Federal de Segurança Pública (DFSP), diretamente subordinado ao Ministro da Justiça e Negócios Interiores.

De acordo com o referido Decreto-Lei o DFSP tinha a seu cargo, no Distrito Federal, os serviços de polícia e segurança pública e, no território nacional, os de polícia marítima, aérea e segurança de fronteiras.

Federação Mundial de Segurança (World Security Federation)

Visitar site

A World Security Federation (WSF) é fruto de um trabalho que começou em outubro de 2000, por ocasião do I Congresso Mundial de Segurança em Bangkok, na Tailândia. A criação da Federação Mundial permitiu a vários países a consolidação da atividade de segurança privada através das atividades da WSF. O Idealizador e fundador da WSF foi o senhor Sombat Pimsang, da Tailândia, que também fundou a Associação Asiática de Profissionais de Segurança (APSA) , que gastou muito tempo e dinheiro de seu próprio bolso para manter juntos os profissionais de segurança de todo o mundo .O Primeiro Presidente da WSF foi o brasileiro Jerfferson Simões, reeleito em 2007, durante o IV Congresso Mundial de Segurança Privada realizado na cidade de Salvador no Brasil.

Tem como missão:

  • Facilitar o contato global entre as organizações membros e seus funcionários e diretores e ser uma fonte de liderança internacional em questões relativas à segurança;

  • Promover a troca de conhecimento entre os membros sobre questões de segurança por todo o mundo e servir como uma fonte primária reconhecida de informação sobre questões relativas aos assuntos de segurança internacional;

  • Influenciar os líderes de opinião a adotar políticas e iniciativas que promoverão um mundo seguro e estável;

  • Facilitar padrões apropriados no treinamento de pessoal de segurança internacionalmente;

FEPASEP – Federação Panamericana de Segurança Privada

Visitar site

No dia 28 de maio de 2001, na cidade de Curitiba, no Brasil, aconteceu a primeira Reunião Latino-Americana sobre segurança privada para todos os países da América, onde foi questionada a necessidade de criar uma Federação Pan-Americana de Segurança Privada. A partir dessa data, todos os países registrados enviaram suas propostas e cartas de aprovação do projeto, gerando os estatutos que regem, de modo que, no dia 9 de novembro de 2001, na segunda reunião realizada, desta vez em Buenos Aires, Argentina, protocolou publicamente um documento que formalizasse a criação da FEPASEP.

Durante este evento, Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, EUA, México, Paraguai, Peru e Venezuela uniram-se para compor a Federação-Pan-americana.

Suas principais metas são:

  • Representar os interesses dos seus membros em fóruns internacionais de segurança, especialmente na Federação de Segurança Mundial (FSM Federação Mundial de Segurança);

  • O desenvolvimento da segurança privada, técnica e desenvolvimento profissional do setor e da inter-relação entre os países membros;

  • Uniformidade e modernização das regras que regem a atividade e a definição de suas áreas de jurisdição da Segurança Pública;

  • Integração e Unidade de Organização reconhecida pela Organização das Nações Unidas - ONU.